ENTREPRENEURSHIP
Início Revista digital Livros Blog

A Arte de Educar

Sara Cardoso
2014-10-22
1
Educar é uma das tarefas mais difíceis que o ser humano pode ter. Pressupõe que sejamos capazes de formar cidadãos ativos, responsáveis, solidários, críticos e confiantes. O papel do educador é o de desenvolver competências intelectuais, morais, emocionais, sociais, e motoras. Pela via da educação podemos transformar o mundo.

 E você, já pensou na forma como educa? Estará a desenvolver no seu educando as características fundamentais para que ele seja no futuro bem-sucedido, capaz de concretizar os seus sonhos, ultrapassar os obstáculos e, acima de tudo, ser FELIZ? O seu estilo educativo estará a incentivar as características empreendedoras do seu filho, ou estará a desvanecer esse potencial?

Os estilos educativos dizem respeito à forma como se educa, têm a ver com o modo de gerir a autoridade, a relação afetiva e a comunicação com as crianças. Sabe qual é o seu? Existem diferentes estilos educativos com características muito próprias.

 Se autoridade é imposta pela força, e o adulto dá as ordens sem considerar o ponto de vista da criança, vive-se num clima de medo em que a relação é distante e pouco afetiva, gerando na criança introspeção e inibição, além de sentimentos de revolta e vingança. Esta não aprende a responsabilizar-se nem a autocontrolar-se, pois os adultos estão sempre no controlo. O domínio da comunicação na resolução dos seus problemas também é nulo, pois não há espaço para negociação.

Por outro lado, temos pais passivos em que predomina a anarquia e a desorganização, sem regras nem limites definidos, é dada liberdade total à criança. E na ausência do controlo dos pais, a criança assume o poder. Os pais veem a criança como um adulto em miniatura, e acham que conversando vezes sem conta com ela é suficiente para que a criança entenda o que é certo e errado. Têm medo da frustração que a criança possa sentir se algo lhe for imposto. São por isso crianças que não treinam a responsabilidade, o autocontrolo e a resiliência, são mestres no egoísmo e mau comportamento.

Pais super-protetores têm relações afetivas e calorosas com os filhos, mas são dependentes emocionalmente, vivem quase em exclusivo para os filhos. Estabelecem algumas regras mas não chegam a ter limites. Estão sempre em cima a socorrer e a desculpabilizar a criança. Evitam que a criança sofra a todo o custo, por isso não toleram que esta seja frustrada. Educadas desta forma tornam-se inseguras, inexperientes, imaturas e dependentes. Por vezes com problemas comportamentais, sociais e de desenvolvimento fruto da superproteção que têm.

O ideal é que se conjugue firmeza com flexibilidade, num ambiente em que se reconhecem os direitos e os deveres de todos os membros da família baseados no respeito, confiança, delegação e comunicação. São pais afetuosos com os filhos e interessados e comprometidos com a sua educação. Quem define os limites são sempre os pais, mas permitem que os filhos tenham uma participação, tendo em conta os seus interesses, necessidades e opiniões. A última palavra é sempre dos pais, pois eles são a autoridade. Neste estilo educativo fomenta-se a autonomia da criança, responsabilizando-a e capacitando-a de valores e ferramentas de comunicação.

Reconhecer e trabalhar o seu estilo educativo é fundamental para que cresça enquanto educador e seja capaz de formar cidadãos preparados para a vida. Mas não queira ser perfeito nesta difícil tarefa de Educar. As crianças não precisam de seres extraordinários como modelos, mas de seres humanos disponíveis de coração e mente aberta, que choram e que riem com fracassos e conquistas, que não escondem sentimentos e desejos.

Para formar um ser humano competente e integrado socialmente, deve estimular todo o seu potencial empreendedor, desenvolvendo a persistência, o autocontrolo, a curiosidade, a determinação e a confiança. Sabe qual é o segredo para conseguir desenvolver estas características?

Misture muita paciência, persistência, coerência e disponibilidade, equilibre a Firmeza com a Flexibilidade, a Razão com a Emoção, o Controlo com a Liberdade, o Dar com o Receber, e verá certamente resultados positivos do seu investimento.

1 Comentário(s)

Aparecer como Anónimo

Anónimo
2014-10-24 02:27

interessante

Categorias

  • Compras
  • Criança
  • Criatividade
  • Empreendedorismo
  • Estrategia
  • Externalidade
  • Iniciativa
  • Inovação
  • Qualidade
  • Recursos humanos
  • Revista digital
  • Projetos
  • Marketing e Marca
  • Livros
  • Tecnologias
  • Fora da Caixa
  • Custos
  • Economia
  • Consultório Fiscal
Subscreva "Revista digital Start&Go"
Receba a revista bimensal Start & Go no seu email. A subscrição e distribuição é gratuita

About Start&Go

  • Latest News
  • Overview
  • Press Room
  • Editorial Team
  • Contact Us
Termos e Condições Privacidade & cookies Marcas registadas - © 2016 Start&Go