Lean Startup

Sempre que abordo questões de planeamento e estratégia é habitual ouvirem-me dizer que o único fator imutável é a própria mudança.

Paulo Ferreira
15 de Novembro de 2015

Sempre que abordo questões de planeamento e estratégia é habitual ouvirem-me dizer que o único fator imutável é a própria mudança.

Esta questão levou-me a debruçar sobre o estudo de soluções a adotar para que as organizações possam superar ou minimizar os impactos da imprevisibilidade dos negócios, o que me conduziu ao Lean Management. A implementação desta metodologia de gestão implica: a simplificação de processos; a flexibilidade das organizações; a melhoria contínua; a eliminação do erro; parâmetros de qualidade máxima; e a implementação de estratégias pull com o objetivo de responder às necessidades dos clientes eliminando os desperdícios ao longo da cadeia de abastecimento. O pressuposto é o esforço de adaptação dos produtos ao mercado e respetiva resposta da organização, e não a adaptação do mercado aos produtos.

Eric Ries, deu mais um contributo nesta matéria lançando o conceito Lean Startup, celebrizado com o livro “Lean Startup: how today’s entrepreneurs use continuous innovation to create radically sucessful business” (2011). A metodologia Lean Startup que permite começar um negócio com menos risco, favorecendo a experimentação vs planeamento elaborado, ter o feedback dos clientes vs intuição, desenvolver um design interativo vs o tradicional desenvolvimento de grandes projetos de design à partida.

Recentemente um estudo realizado por Shikan Ghosh da Harvard Business School, mostra que 75% de todas as startups falham, com a metodologia Lean Startup pretende-se que os empreendedores diminuam os seus riscos e aumentem as hipóteses de sucesso do seu negócio. Sendo mais inovadores e desperdiçando menos recursos. De que forma? Com uma maior rapidez no desenvolvimento do produto de acordo com as necessidades do mercado e não no desenvolvimento do produto perfeito que idealizamos, o que permite colocar o produto no mercado, testar e evoluir antes que se esgote o orçamento. Para tal, é necessário criar condições de medir, estabelecer metas e melhorar. Ao estabelecer métricas posso determinar a causa / efeito das alterações introduzidas e desenvolver os produtos ou serviços validados por métodos científicos. Este processo permite-nos reduzir a incerteza, reduzir o investimento no desenvolvimento de produtos e garantindo que estes vão ao encontro das necessidades dos clientes.

Work Smarter not Harder

A metodologia Lean Startup tem a premissa que as startup são uma grande experiência que tenta responder a uma questão “Este produto deve ser construído?” e depois a outra “Pode ser criado um negócio sustentável à volta deste conjunto de produtos ou serviços?” e não responder à questão “Este produto pode ser construído?”. Esta experimentação mais do que uma resposta teórica, permite desenvolver um produto. E se este for bem-sucedido, o gestor pode começar o seu percurso, tendo já introduzido à partida adaptações, contratando funcionários à medida que se vai introduzindo novas experimentações e interações e eventualmente começar a construir o produto. Desta forma, quando o produto estiver pronto para ser distribuído em larga escala já tem garantidos clientes, já se resolveu problemas reais e já se obteve especificações detalhadas acerca daquilo que se pretende construir.

A metodologia Lean Startup não elimina os riscos de negócio, mas diminui a incerteza e aumenta a hipóteses de sucesso, para quem se está a lançar na senda empreendedora justifica explorar este conceito.

Revista Digital Start&Go

Últimas


Mesmo autor