Factores Críticos de Sucesso da Gestão Empresarial

Vivemos num período de elevada turbulência Política, Económica, Social, Tecnológica e Ambiental, a nível internacional e nacional, que provoca grandes mudanças nos modelos de negócio das empresas.

José Luis Alvim
5 de Setembro de 2016

Vivemos num período de elevada turbulência Política, Económica, Social, Tecnológica e Ambiental, a nível internacional e nacional, que provoca grandes mudanças nos modelos de negócio das empresas.

 

As empresas para concretizarem o seu pleno potencial, têm de tomar boas decisões, de forma rápida, no momento certo e de forma consistente e, em seguida, executá-las conforme planeado e de forma eficiente e eficaz.

 

Neste contexto de crescente complexidade, acelerado ritmo de mudança, incertezas e surpresas, onde a rapidez, a agilidade e a adaptabilidade das empresas são cada vez relevantes, quais são, na nossa perspectiva, os factores críticos de sucesso da Gestão Empresarial?

 

1) Praticar uma liderança inspiradora e uma efectiva coordenação, onde os principais responsáveis da Empresa actuam como exemplo, praticando no seu dia-a-dia e de forma coerente os Valores definidos pela Empresa (Equipa de liderança coesa e estimuladora de boas práticas)

 

2) Uma estratégia da Empresa ágil e dinâmica onde a Visão, a Missão e os Valores, Temas e Objectivos Estratégicos, Indicadores, Metas e Planos de Acção estão bem definidos, divulgados e praticados em toda a organização e consideram as expectativas dos stakeholders (Clareza nas prioridades);

 

3) Um modelo de negócio caracterizado por uma adequada segmentação dos mercados, uma forte relação com os clientes através de vários canais de venda e de distribuição, uma proposta de valor diferenciadora, suportada por recursos críticos valiosos e distintivos e parcerias estratégicas criteriosamente seleccionadas e potenciadoras do reforço da competitividade da Empresa;

 

4) Uma estrutura organizacional simples, que promova a comunicação, o alinhamento e o envolvimento das pessoas e das equipas, que devem acreditar no que fazem, ter orgulho de pertencer à Empresa e estar orientadas para resultados e assumirem uma cultura vencedora;

 

5) Assumir a inovação como uma prioridade estratégica ao mais alto nível da Empresa, baseada num conhecimento profundo das necessidades dos Clientes e nas competências internas, que devem ser reforçadas pela utilização da rede de contactos e relações com o exterior (Ex: Universidades; Centros de investigação públicos e privados; Redes de empresas inovadoras);

 

6) Assegurar o alinhamento Organizacional através da utilização dos Planos de Acções e Recursos - PAR´s, por Departamento da Empresa, e dos Key Performance Indicators - KPI´s, que devem ser construídos de forma coerente e consistente entre si e devem assegurar a operacionalização da estratégia da Empresa;

 

7) Praticar na Empresa uma cultura sólida de performance, de cooperação e de gestão de competências, através da valorização organizacional e pessoal do cumprimento dos níveis de performance definidos;

 

8) Monitorizar e controlar o desempenho estratégico e operacional da Empresa através de uma adequada utilização de uma sólida informação quantitativa e qualitativa, no momento certo e no lugar certo;

 

9) Assegurar a articulação do Plano Estratégico com o Orçamento, incluindo a prática do Rolling Forecast (global ou parcial) de forma a reflectir a execução da estratégia e antecipar eventuais “surpresas”, nomeadamente, as associadas às profundas e rápidas mutações do contexto envolvente, mundial, nacional e sectorial;

 

10) Definir e praticar uma adequada gestão dos riscos estratégicos e operacionais da Empresa, que assuma e integre o risco como parte do processo de decisão (processos de decisão robustos) e assegure uma cultura de risco a todos os níveis da Empresa.

 

Para concluir, salientamos que a aplicação prática destes “factores críticos de sucesso" deve ser efectuada com rigor, transparência, determinação, foco e muita paixão.

Revista Digital Start&Go

Últimas