Não copie o modelo do Spotify!

Hoje em dia o Agile está na moda, milhares de empresas criam espaços giros, cheios de cores, de jogos, de divertimento com o objectivo de se tornarem mais Agile.

Ilídio Faria
1 de Julho de 2017

Hoje em dia o Agile está na moda, milhares de empresas criam espaços giros, cheios de cores, de jogos, de divertimento com o objectivo de se tornarem mais Agile. Muitas empresas seguem também outras empresas coolcomo a Spotify, Zappos, Netflix, e tentam imitar as suas metodologias ágeis. No entanto, esquecem-se que as squad o Agile Coach resultam de muitos anos de experimentação, tentativas e muito erros, feitos por equipas que aprenderam muito a partir desses erros e que moldaram a metodologia e continuam a moldar de acordo com a evolução do negócio.

Alistair Cockburn um dos assinantes do Agile Manifesto defende que as organizações passam por três estádios de aprendizagem designados de SHU-HA-RI:

1) Shu: obedecer a regras - Shu significa possuir, proteger, manter.

2) Ha: Conscientemente afastar-se das regras - Ha significa separar-se ou libertar-se.

3) Ri: Inconscientemente encontrar o próprio caminho - Ri significa seguir em frente ou transcender.

Ken Schwaber um dos criadores da framework Scrum advoga que até uma empresa poder ser considerada Agile são necessário no mínimo dois anos. Então porque é que toda a gente quer saltar para o futuro e imitar a Spotify? Por falta de humildade intelectual em assumir que nada sabem sobre Agile e terem que durante anos estar apegados a um conjunto de valores, princípios e regras de gestão universalmente aplicados em todo mundo com grande sucesso.

Independente de ser uma empresa ou uma pessoa siga estes passos rumo à excelência: não poupe dinheiro em formação de Agile, tenha um tutor experiente, acredite que as regras funcionam e durante o estado Shu não pense em quebrar qualquer regra, mesmo que elas já se estejam a tornar chatas. Mostre aquilo que faz, peça feedback e quando achar que domina a matéria então crie o seu próprio modelo Spotify!

Artigo em formato PDF

Revista Digital Start&Go