Ser criança não é fácil

Tenho saudades de ser criança...de correr pelo campo de trigo, de nadar no rio, de fazer bolos de terra, de atirar pedras com uma fisga.

Sara Cardoso
1 de Dezembro de 2016

Recordo também a escola com saudades, do cheiro dos cadernos novos, do recreio de terra batida onde saltava à corda e esfolava os joelhos, do leite com chocolate bebido a correr pelos corredores, de jogar ao esconde-esconde e às apanhadas. Como era bom ser criança! 

Gostava de poder voltar à minha infância, ao tempo em que não tinha responsabilidades e preocupações, onde podia ser livre e descobrir o mundo. Será que os nossos filhos vão sentir esta vontade de recuar no tempo? Não me parece.

 Ser criança hoje em dia não é fácil, a maioria leva uma vida parecida com a dos adultos, cheia de rotinas rígidas e com uma agenda preenchida de atividades exigentes. São criança ansiosas, stressadas, até mesmo infelizes. Uma criança tem de ser livre para explorar, aprender com prazer, sem expectativas exigentes dos que a rodeiam. 

A maioria nasce “predestinada” a ser bem-sucedida, com a pressão de superar os seus pais, têm de ser e ter o que eles mesmos não conseguiram. Enganam-se os pais que acham que ser o melhor na escola, aprender mais e rápido, desempenhar várias atividades desportivas e culturais é o caminho para o sucesso profissional dos filhos. 

A infância deve ser uma das melhores fases da vida, onde o encanto pelo mundo vai crescendo e a vontade de fazer mais e melhor vai crescendo e amadurecendo com as experiências. Temos de permitir à criança usar todos os sentidos, dar espaço e tempo para brincar, errar, dizer e fazer disparates. É fundamental que o façam, para desenvolverem capacidades como a resiliência, a criatividade, a autorregulação e a confiança. Uma criança feliz tornar-se-á num adulto mais competente e de bem com a vida.

 Artigo em formato PDF

Revista Digital Start&Go