Poupar Água nas Instalações da Empresa

Tal como a energia, a água é um bem que pesa cada vez mais nas despesas gerais, embora algumas empresas ainda a tenham como um dado adquirido.

Expense Reduction Analysts
29 de Março de 2015


Tal como a energia, a água é um bem que pesa cada vez mais nas despesas gerais, embora algumas empresas ainda a tenham como um dado adquirido. Para alguns sectores da indústria, como o agrícola, químico e indústrias de processamento, alimentar, hospitalidade ou fabrico, a água é uma rubrica orçamental importante – embora a qualidade da água necessária dependa do tipo de utilização pretendida.

 

As medidas para poupar água não terão apenas um efeito positivo na carteira – mas também no ambiente; por sua vez, isto reforçará a imagem de marca da empresa perante as partes interessadas e a comunidade.

 

Para definir as medidas para poupar água, uma análise inicial estabelecerá a quantidade de água usada e para quê, quando (há picos de consumo?), por quem, como – para já não falar também no tipo de água e onde é usada. Os locais incluirão:

  • Casas de banho

  • Balneários

  • Cozinhas

  • Lavandarias

  • Instalações industriais e do escritório (operações das máquinas, sistemas de aquecimento e de arrefecimento, limpeza de viaturas e do equipamento, etc.)

  • Solos (rega, limpeza)

 

Os resultados da auditoria podem ser comparados aos exibidos no contador da água ou nas facturas dos fornecedores de água e usados para calcular a média de consumo por funcionário, por peça de equipamento ou por actividade.

Adicionalmente, a análise deverá destacar potenciais problemas como fugas e inundações, maus hábitos (deixar a torneira aberta entre tarefas), uso inadequado (por exemplo efectuar a rega na altura errada do dia), etc.

 

Desenvolver a consciência dos funcionários

Ao criar um plano para poupar água, é importante comunicar o quê e o porquê para garantir o empenho dos funcionários nas boas práticas. É pedido aos funcionários que alterem os seus hábitos, e ainda que isto possa ser apoiado por ferramentas e técnicas fornecidas pela empresa, há sempre alguma relutância em mudar. Os novos hábitos podem incluir:

  • Reduzir a utilização de químicos (produtos de lavandaria, por exemplo) para permitir a reutilização da água

  • Saber que tipo de águas residuais são geradas para maximizar a reutilização sempre que possível

  • Usar máquinas de lavar roupa/loiça etc. de forma mais eficiente, enchendo-as totalmente e escolhendo o programa adequado

  • Preferir a limpeza a seco (varrer, aspirar)

  • Ajustar a pressão da água

     

Obter as ferramentas certas:

  • Para evitar qualquer perda de água em fugas, inundações e evaporação

  • Sempre que possível, escolher água não potável para utilização industrial

  • Instalar sensores de controlo de infravermelhos para torneiras e autoclismos para evitar a água corrente desnecessária

  • Controlar a pressão da água e adaptar à utilização

  • Reduzir o uso do ar condicionado

  • Fazer a manutenção dos sistemas de aquecimento e arrefecimento para serem utilizados de forma mais eficiente

  • Usar temporizador para a rega

 

Reciclar

Quando possível, recolher a água usada e as águas pluviais para reutilização na limpeza ou rega.

Verificar o tipo de escoamento das águas residuais para ver se a sua reutilização é possível.

 

Monitorizar

A medição e monitorização sistemáticas devem ser adoptadas para garantir o empenho dos funcionários e que as poupanças são contínuas e sustentáveis. As poupanças identificadas podem ser promovidas no website da empresa ou através de material de marketing – isto pode ser um bem valioso dependendo do sector da indústria.

 

Podem existir incentivos financeiros disponíveis para ajudar as empresas a tornarem-se mais eficientes relativamente à utilização da água e mais amigas do ambiente. Pode ser precisa uma perspectiva externa e imparcial para garantir que todos os aspectos dos processos de poupança de água são tratados, e para beneficiar de aconselhamento técnico especialista relativamente às ferramentas e subvenções financeiras e subsídios disponíveis.

Revista Digital Start&Go

Últimas